Benvenuti in Italia

Descendo as ladeiras “paralelipadas “da cidade me perguntei se ia sentir falta da vida em Londres, o céu hoje se achegou ao mar e os dois se misturaram num azul que há tempo não via.
Ao invés de sirene o que ouvia era o cantar dos pássaros e alguns moradores gritando de um lado ao outro, dando mais vida a pequena cidade, que foi fundada entre vales e crateras, a cidade quebrada, rota.
Matei um pouco de tempo na praça central, point da juventude pois é o único ponto da cidade com wifi publico, a cidade me remete a Ilhéus de Jorge Amado , não pela busca do progresso e muito menos pelo cacau, mas pelas senhoras católicas recalcadas que se encontram para colocar em dia os mexericos, e os senhores coronéis de si mesmo que não podem ver um rabo de saia.
Não é de hoje que perco a paciência com a ousadia masculina, ( ok, agora senti um pouco de falta da timidez ou respeito do homem inglês) soltei um palavrão em português e intimei o figura, pra minha supresa me respondeu também em português . Em uma cidade com pouco mais de 5 mil habitantes descubro de maneira inusitada que além de mim existe outro brasileiro por aqui.
Na mesma praça estão montando um palco para a procissão de sexta -feira, coisa grande.

Mas nessa época do ano todo dia tem um procissão , todos sem exceção comparecem, ouvi falar que vai passar uma embaixo da minha janela uma dessas madrugadas , dizem que os fiéis se vestem com mascaras do tipo KKK, no mínimo exótico.
Acordar com as badaladas do sino da igreja todo dia já esta me preparando psicologicamente para acordar no meio da noite por homens mascarados com vela nas mãos.
O mar aqui ainda esta muito gelado e não me arrisquei num mergulho, mas qualquer dia vou fazer a wild e entrar sem medo, se vier a piano não espere encontrar praias extensas de areia branca, e nem ondas , nem mesmo pra pegar um jacaré. A areia preta é de origem vulcânica , mas normalmente as praia são de pedra mesmo, o que só tem um ponto positivo, não ficar igual uma milanesa enquanto pega sol, mas somente isso! gosto de fazer travesseirinho de areia e enterrar meu pé , vou ficar na saudade.

Acabei de escutar alguém tocando um sax , bem pertinho, devo ter algum vizinho musico. O da frente é ganancioso , tem uma arvore que dá laranja e limão acho que também vi uma pera no mesmo pé mas a informação não é muito confiável pois estava sem meus óculos, mas imagine só , uma arvore tutti-frutti.

Hoje lavei minhas roupas e estendi na frente da minha janela, todos que por aqui passam podem ver minha roupa de baixo exposta, sem nenhum pudor. Agora são 18:00 e começo a escutar o ronco das vespas que trazem os trabalhadores de volta a casa, a minha rua tá mais pra um estacionamento de vespa e aqueles carrinhos do mister Bin, não , não se pode chamar de rua uma passagem com 1,5 de largura , moro numa viela, todos aqui moram em vielas , e estendem suas roupas de baixo na frente de suas janelas, sem pudor.

IMG_1132

O sax continua a chorar…

6 Replies to “Benvenuti in Italia”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.